USP migra para a plataforma de código aberto Apache Cloudstack para executar a maior nuvem educacional da América Latina

, , ,

Rio de Janeiro, 21 de abril de 2015

A ShapeBlue – uma empresa focada no Apache CloudStack, anunciou hoje que foi selecionada para ajudar a Universidade de São Paulo a expandir e melhorar sua enorme nuvem privada, migrando para a tecnologia de código aberto Apache Cloudstack. O projeto também envolve desenvolver um conjunto de novos recursos para a sua nuvem.

A USP é a maior universidade da América Latina, gradua mais doutores que qualquer outra no mundo e é a quinta em número de artigos científicos publicados. A USP é um dos institutos líderes em pesquisa contando com 100.000 estudantes, 6.000 professores e 17.000 funcionários.

Um pouco de história

Em 2012, a USP iniciou um processo de construção de um ambiente de nuvem privada para ajudá-la a superar o desafio de ter 150 ambientes de TI diferentes e uma crescente demanda por recursos computacionais e de armazenamento em seu dinâmico ambiente de pesquisas. A primeira versão da InterNuvem USP reduziu os 150 datacenters da universidade para apenas 6 e consolidou os ambientes corporativo, educacional e de pesquisas em um único com recursos consolidados que podem ser requisitados diretamente pelos usuários. O projeto inicial foi um grande sucesso e permitiu que a universidade reduzisse seus recursos físicos de armazenamento em 90%, embora os dados em si tenham crescido mais de 300%, possibilitando aumentar enormemente a eficiência operacional de TI.

Demanda por escala

A InterNuvem USP, tem sido um sucesso tão grande que possibilitou fornecer pelos próximos anos mecanismos que possibilitam aumentar sua escala rapidamente.

A STI (Superintendência de Tecnologia da Informação), explica “A InterNuvem USP já é um ambiente enorme mas as necessidades dos nossos departamentos exigem que escalemos a estrutura computacional em mais de 300% no próximo ano. Assim, tivemos que planejar cuidadosamente o futuro da plataforma tecnológica e ter certeza em escolher algo que seja ao mesmo tempo confiável e escalável, nos dando a agilidade que precisamos.

Anteriormente nós usávamos uma distribuição comercial do Apache Cloudstack que nos apresentou deficiências em relação ao desenvolvimento de novos recursos que necessitávamos além de ter um custo alto em escala. Ao mudarmos para uma plataforma de código aberto, poderemos desenvolver rapidamente quaisquer novas funcionalidades que necessitarmos e, em contra-partida, envolver-se diretamente com o desenvolvimento principal e manutenção. Isso nos liberta de ciclos de desenvolvimento guiados por motivos comerciais e nos permite focar no que realmente precisamos para o nosso ambiente.

O Apache Cloudstack foi a escolha natural pois é a base de nossa tecnologia comercial atual. Isto também significa que não teremos uma curva de aprendizado difícil na migração. Já estamos participando ativamente da Comunidade Apache CloudStack.

Desenvolvimento mais ágil de recursos

Além de aumentar enormemente a escala do ambiente, a ShapeBlue estará ajudando a USP a entregar novas e excitantes funcionalidades para seus usuários. Uma oferta de PaaS (baseada no projeto de código aberto Tsuru) será integrada e novos recursos irão permitir à USP confederar sua segurança com a comunidade acadêmica. A funcionalidade de rede será estendida para a Universidade e um mecanismo para rastrear financeiramente a estrutura da nuvem será desenvolvido.

A STI explicou que “migrar para a plataforma de código aberto não tem como motivo principal seu custo. É sobre nossa habilidade de contribuir diretamente com os recursos que precisamos para a plataforma. O Cloudstack, como um projeto da Fundação Apache, é muito maduro e uma comunidade bem administrada. Nós apreciamos muito o fato deste projeto ser impulsionado pelos seus usuários e não por empresas de software. Um desenvolvimento baseado em interesses comerciais simplesmente não pode nos dar a agilidade que precisamos.”

Ajuda com conhecimento

De modo a realizar sua visão, a USP decidiu que precisava de um parceiro que pudesse prover a especialização profissional e experiência. Depois de uma licitação pública a ShapeBlue foi escolhida.

A STI complementa: “Selecionamos através de processo licitatório a ShapeBlue para trabalhar conosco neste projeto. Estamos extremamente impressionados com seu conhecimento, profissionalismo e sua vasta experiência em implementar ambientes como o nosso. Não há outra empresa com este perfil.”

Marco Sinhoreli, Managing Consultant da ShapeBlue Brasil comentou “A InterNuvem USP é um dos maiores ambientes de nuvem privada do mundo. Estamos muito excitados por termos vencido esta licitação e de estarmos trabalhando com a USP neste projeto.”

Para maiores informações:

www.usp.br

shapeblue.wpengine.com

www.cloudstack.org

www.tsuru.io